BEM VINDO AO BLOG FONTES E FONTANÁRIOS

NÃO VAMOS DEIXAR MORRER AS NOSSAS BELAS FONTES

CONTRIBUAM COM FOTOS DE FONTES ESPALHADAS PELO NOSSO PAÍS PARA ESTE SITE PARA AQUI AS DIVULGARMOS
(enviem em formato jpeg com nome e local da mesma, vosso nome e blog para o seguinte email:
sandramcrocha@sapo.pt)

sábado, 7 de março de 2009

Odemira

Foto: Vitor

Odemira é sede do maior município em extensão territorial do País, com uma imensa diversidade paisagística, estendendo-se entre a planície, a serra e o mar. Odemira localiza-se num pequeno monte em anfiteatro, onde se dispõem casas de branco caiadas orientadas para o rio Mira, nascido no interior da Serra do Caldeirão e que, a partir daqui é navegável até à foz, em Vila Nova de Milfontes, num percurso de cerca de 30 km, perfeito para passeio, remo e canoagem. Do Castelo e da Muralha, de origens islâmicas, da Vila restam hoje em dia poucos vestígios, mas noutro dos pontos mais altos da vila existe um moinho de vento preservado e em pleno funcionamento, podendo ser apreciada a moagem tradicional de cereais. O rio Mira oferece um dos principais atractivos para quem chega a Odemira, serpenteando os vales, corre de sul para norte e enche a Barragem de Santa Clara. Passa em Odemira e, por muito que este nome sugira outros raciocínios, ele significa “o rio do emir”, derivação do árabe wad emir. Foram estas terras dos mouros, por muitos séculos, e esse povo, que deu nome às coisas, aos lugares e aos rios, influenciando os modos de vida. O rio constituiu desde esses tempos um recurso crucial que facilitou a instalação de comunidades e lhes assegurou condições dignas de vida. Rico em recursos piscícolas, fonte energética para os moinhos instalados no seu leito, garante de terras fluviais ricas e sustentáculo de ricos habitats, o rio Mira estendeu-se ao longo de uma vasta região. Actualmente é o sinónimo de uma biodiversidade considerável, onde se destaca a importância dos povoamentos bentónicos, a existência de uma população marinha de Lontra, Lutra lutra. A este propósito aconselha-se a visita ao passeio ribeirinho junto ao rio onde poderá conhecer um dos espaços temáticos do Pólo de Educação Ambiental do Sitio da Costa Sudoeste. Também a Biblioteca Municipal, o Jardim da Fonte Férrea, que dispõe de um restaurante-bar, e o Jardim Sousa Prado aconselham uma visita, tal como o Complexo Desportivo Municipal “Dr.Justino Santos”, que dispõe de Campo relvado sintético, pista de Atletismo em “tartan”, Pavilhão Desportivo e Piscinas Cobertas, estas últimas com bar aberto. A vila de Odemira localiza-se a cerca de 20 km da zona costeira, estando mais próxima das praias de Almograve e Zambujeira do Mar e distante 40 Km da barragem de Santa Clara. A oferta Gastronómica de Odemira é variada, com peixe e marisco fresco, enchidos de qualidade, bons queijos e vinho, pão e aguardente de medronho.

Fonte: http://www.cm-odemira.pt/PT/Visitar/Lugares_encantar/VilaOdemira/Paginas/default.aspx

3 comentários:

  1. A fonte é de uma simplicidade que a torna maravilhosa.
    E o enquadramento do texto, bem, como já nos habituou...

    Parabéns e um beijinho nosso no dia internacional da Mulher

    ResponderEliminar
  2. A ideia deste blogue sobre fontes e fontanários é bastante interessante, é uma maneira de mostrar a história bem recente do nosso povo.

    ResponderEliminar

Obrigado pela visita e comentário